sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

A GUERRA
".......É a guerra aquele monstro que se sustenta das fazendas, do sangue, das vidas, e quanto mais come e consome tanto menos se farta. É a guerra aquela tempestade terrestre, que leva os campos, as casas, as vilas, os castelos, as cidades, e talvez em um momento sorve os reinos e monarquias inteiras."........
(Padre António Vieira)
António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Tsunami na saúde dos militares das FA

  Consta na Lei de Bases da Condição Militar, Lei 11/89:


  Mas esta Lei foi praticamente “violada” pelo anterior Ministro da Defesa, violação de que o quadro comparativo seguinte é apenas um exemplo. Um tsunami na assistência à saúde dos militares das FA. Tsunami que aliás se mantém com este Governo, mais de ano após a sua posse.
  Com tal Ministro, os militares passaram a financiar a sua própria saúde, ao passarem a descontar para o IASFA, obrigatoriamente, no activo, na reserva e na reforma, 3,5 % do seu vencimento bruto, o que chega a aproximar-se de 6% do seu vencimento líquido!
  E, apesar disso, a sua assistência na saúde piorou, e bastante, como aqui se vê no que lhes é facultado pelo Serviço de Apoio Médico (SAMED) do Centro de Apoio Social de Oeiras (CASO) do IASFA.
  Como consta no respectivo portal, o CASO “está aberto à população militar e seus familiares e é composto por um conjunto de instalações destinadas ao apoio essencial aos mais idosos, incidindo sobretudo nos domínios da saúde, alojamento, alimentação e atividades culturais e recreativas.

Tem a missão fundamental de prestar apoio através de uma ação social complementar aos beneficiários do IASFA I.P., na modalidade de assistência na velhice. Como complemento da sua missão fundamental presta igualmente apoio à generalidade dos beneficiários do IASFA I.P., nomeadamente aos residentes nos Concelhos de Oeiras e de Cascais, através dos vários equipamentos que o integram.”

    Como mero exemplo do tsunami, vejam a degradação no SAMED do CASO:
Assistência do SAMED para consultas e exames






em 13-8-2007
em 15-5-2016              e 22-2-17
especialidade
quantos médicos
total horas semanais
quantos médicos
total horas semanais
cardiologia
2
4
2
4
clínica geral
5
18
1
4
dermatologia
1
4


estomatologia
14
36
10
20
fisiatria
2
4
1
2
gastro
1
2


oftalmologia
2
4
2
4
otorrino
1
4


reumatologia
1
4


pneumologia
1
4
1
4
psicologia
1
6
2
10
psiquiatria
1
5


análises

12,5

12,5
electrocardiografia

16,5


ecocardiografia
2
3,5


fisioterapia

35

35
radiologia

17,5


enfermagem

22,5

15

  Pobres idosos que lá residem, que para tal pagam mensalidade, que também descontam os 3,5% para a ADM e deixaram de ter assistência em muitas especialidades críticas nessas idades, como otorrino, reumatologia, psiquiatria, eletrocardiografia e ecocardiografia, RX! Com apenas 4 horas semanais para consultas de clínica geral onde dantes eram 18!
                            
  António José de Matos Nunes da Silva
                                          

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Uma POSIÇÃO da AOFA
Na presunção de que muitos não terão lido, deixo aqui, sem comentários, um comunicado da AOFA de 19 de Fevereiro.

António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)



COMUNICADO da AOFA 
AS INTERROGAÇÕES NECESSÁRIAS
Perante as recentes notícias de turbulência administrativa nas Forças Armadas mostra-se relevante e importante efetuar algumas reflexões sobre o ambiente que nelas se vive. 
Os casos noticiados, exemplares pela sua dinâmica objetiva, colocam a todos os que servem Portugal vivendo a Condição Militar, um conjunto de importantes questões profissionais entre as quais avultam as seguintes: 
Estará a minha carreira sujeita à subjetividade e poder arbitrário de alguém? 
Existe a forte probabilidade de assim poderem ou tentarem liquidar a minha carreira? 
É para isto que servem as leis militares que entretanto foram alteradas e aprovadas: EMFAR; RDM; RAMMFA; Portaria de Abate aos Quadros Permanentes? Criação da Carreira Horizontal? A aplicação do regime geral do cálculo de pensões e reforma? 
A questão de fundo não é restrita ao conteúdo legal. 
É um dado assente que também no direito administrativo militar todas as decisões têm de ser claras, fundamentadas e tomadas no tempo devido. 
A questão de fundo assenta no plano mais profundo dos valores éticos que orientam a Condição Militar. 

Neste quadro a questão que se coloca é: Também na Instituição Militar já passou a “valer tudo”? 
Evoluindo para as causas deste questionamento, encontra-se outra pergunta: não terão sido cedidas condições para que o exercício do poder e do comando se sujeitem a que cada vez mais casos destes aconteçam? 
Quando cada vez mais a Política de Defesa Nacional é dirigida em função da apetência de certo poder político, de certos negócios, de certas fações do arco governativo que pretendem usar a Instituição Militar para fins estranhos à sua soberana função, e dela “alimentar-se” por vezes sem visibilidade e “ruído”, não foi deliberada e intencionalmente criada essa cultura do “vale tudo” para dela tirar partido culpando as suas vitimas? 
Enquanto Oficiais e Militares, teremos razões acrescidas para preocupação e dúvida sobre se ainda existe um válido e saudável exercício do “dever de tutela” aos mais altos níveis políticos e político-militares? Será o “vale tudo” o valor que melhor defende os interesses nacionais e da Condição Militar?
Oeiras, 19 de fevereiro de 2017
O Presidente
António Augusto Proença da Costa Mota, Tenente-coronel
O NAVEGADOR
Coitado do Navegador.
Apontou caminhos, outrora, e deu no que se sabe.
Com um simples acto administrativo, no século XX colocaram-no a olhar de frente para os morros na margem Sul.
Será por isso, este nosso triste "fado"?
António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

sábado, 18 de fevereiro de 2017

FIM DO DIA


António Cabral
cAlmirante, reformado
(chapéus há muitos)
MARINHA,......um caso que termina 
Será que termina/ terminou?
Apesar de estar a usar o mesmo título, creio que o caso não vai terminar assim tão facilmente. 
Porque, se conheço alguma coisa da vida, temos neste xadrez todo uma panóplia de teimosos, calculistas, frios ou mesmo gélidos mas que se topam a léguas de distância, telhados de vidro cheios de cocó de pombo, insidiosos, ingénuos, para não alargar a adjectivação.
Pela minha parte, aliás, gostava que não terminasse ou seja, bons ou maus (cheira-me que muito maus...) que tenham sido os procedimentos de todos os envolvidos directamente ou pela calada, bem ou mal que tenham sido ponderados (??!!??) todos os despachos,  tenham ou não existido previamente (existiram?) aos despachos todos os procedimentos legais que a lei impõe, a realidade é que existem processos na esfera do sistema de justiça, e que a ERC deu agora mais uma acha para a fogueira e, portanto, que não se desista, que surjam frutos, mesmo que seja só "arquive-se".
Presentes os factos que são públicos, eles parecem, repito, parecem   indiciar o seguinte:
1. Situações pouco claras (de partes várias) dentro da Marinha terão subsistido meses a fio antes de Novembro de 2016; nada inédito, aliás;
2. Na altura do processo de escolha para novo CEMA, até porque tinham aparecido nos OCS uma quantidade de notícias e coisas estranhas, um vAlmirante ficou/ estava obviamente fora dessa "corrida";
3. Agora, segundo o DN, o actual CEMA informou que certas coisas voltavam à estaca zero; por outras palavras, o vAlmirante que convenientemente para alguém (presumo) não foi considerado quando do processo de escolha para CEMA irá a curto prazo ser nomeado Superintendente dos Serviços de Material (SSM); 
4. Há certas coisas na vida que são tramadas, por exemplo, se não se desiste, se não se passa à reserva, fica um  bico de obra ou seja, não dá vaga, pode estar a estragar planos;
5. Ainda segundo as várias notícias que periodicamente o DN vem colocando cá fora, o actual CEMGFA deixará o lugar algures em Julho de 2018 e será substituído pelo actual CEMA;
6. A simples consulta da Lista da Armada mostra que o vAlmirante que a breve prazo irá ser o SSM nasceu em 9 de Novembro de 1956;
7. Uma simples conta de somar indica que o quase SSM só passará à reserva por limite de idade em 9NOV2018. Tome-se nota deste detalhe.


Tudo muito "interessante",  tão interessante que me deixa uma tristeza muito profunda e crescente, pelo que se vai passando numa instituição que servi, e a que me honro de pertencer. 

Instituição está muito acima de certos servidores.
Como eu gostava de ser mosca para assistir a todas as reuniões do almirantado daqui para a frente.
Como eu gostava de ser mosca para poder entrar pela janela de uma certa casa para observar agora certos semblantes, e tentar ver onde estará agora certa medalha.


António Cabral
cAlmirante, reformado,
(Chapéus há muitos)

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

MEMÓRIAS.......curiosidades,....
......UMA COISA QUE CREIO TERMINOU
A taxa militar.
Aqui, uma parte do documento relativo a isso, que a partir da 3ª folha tinha o impresso respeitante ao pagamento anual. No caso que agora me veio ás mãos só existem, naturalmente, os canhotos.
Na altura do início do processo do concidadão há muitos anos falecido, infelizmente, estava-lhe determinado o pagamento anual até 1977, de 30$00 (escudos).


António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

Marinha ... um caso que termina


De acordo com o Diário de Notícias de hoje: "Está prestes a chegar ao fim um dos casos que agitaram a Marinha nos últimos anos, com a nomeação do vice-almirante Rocha Carrilho para superintendente do Material, revelou ao DN o chefe do Estado-Maior do ramo, almirante Silva Ribeiro."
Para ler o artigo completo podem seguir esta ligação.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

CMG MN (REF) Humberto de Vasconcelos Gonçalves


Transcrevemos do Blogue "Água aberta ... no OCeano":
"Acabámos de receber a brutal notícia do falecimento hoje, em casa, do CMG MN Humberto Gonçalves. 
Excelente camarada sempre bem disposto e de trato cativante, profissional de corpo inteiro sempre pronto a ajudar quem dele necessitasse como médico, deixa imensas saudades a todos os que tiveram o privilégio de com ele conviver.
Após os formalismos legais, o corpo seguirá em câmara ardente para a igreja de Sto. António em Oeiras, em momento ainda desconhecido.
..."
À Família enlutada,  “O Navio ... desarmado" apresenta sentidas condolências.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Deliberação da Entidade Reguladora da Comunicação Social

Dado o eventual interesse que a matéria em questão pode constituir para os camaradas, dá-se a conhecer a deliberação de 18 de Janeiro p.p. da Entidade Reguladora da Comunicação Social sobre a queixa apresentada pelos V/Almirantes Cunha Lopes e Rocha Carrilho, contra o jornal "O Correio da Manhã”.
Para a ler, carregar aqui.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

MEMÓRIAS
Se os meus registos estão certos, 13 de Fevereiro é dia mundial da rádio, UNESCO.
Esta manhã, não recordo qual era o posto, enquanto tomava o duche matinal ouvia notícias e, entre outras coisas, que hoje seria também o dia do preservativo!!
Estes dois "eventos", fizeram-me recuar muitas décadas atrás.
Quanto à rádio:
> antes de entrar para a EN, o quanto eu gostava de ouvir música no "Lorenz" do meu tio-Avô, e quanto gostava de por trás observar aquelas "ampolas", que mais tarde aprendi serem válvulas e outras coisas;
> já marinheiro, recordo com saudade os vetustos equipamentos nos velhos draga-minas Rosário, R.Grande, Lajes.
> há poucos dias, dei-me ao trabalho de abrir um dos equipamentos avariados que tinha na garagem, do início dos anos 90 do século passado. Olhando para trás, que pequenez de coisas comparando com o velhinho "Lorenz", placas com umas "coisitas" pequenitas.


Quanto à borrachinha, lembrei-me daquela velha história que ouvi contar em certa câmara de oficiais, décadas atrás, e que era mais ou menos assim: um velho comandante mandou chamar o cantineiro, e disse-lhe que precisava de um, ao que o cantineiro retorquiu que só tinha em embalagens com várias unidades. De pronto - "trás que eu gasto isso num instante".

Memórias.

António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

CFRG MN (Ref) José Amândio Calçada Carolino

Lamenta-se informar que tomamos conhecimento do falecimento, hoje, do muito estimado Dr. Carolino. O corpo estará em câmara-ardente a partir de hoje na Igreja de S. Brás de Alportel de onde, amanhã pelas 1200 hrs, seguirá o funeral para o cemitério de S. Brás.
"O Navio... desarmado" apresenta sentidas condolências à Família e amigos.

Homenagem a Carlos Paredes


CMG (Ref) Carlos Guilherme I. F. Wandschneider Mesquita

Lamentamos informar o falecimento, no passado domingo, do Cte Wandschneider Mesquita (Curso D. Francisco de Almeida). Será celebrada uma missa de corpo presente, hoje pelas 1445 hrs, na Igreja da Ressureição sita na Rua de Alvide, Cascais, após a qual o corpo seguirá para o crematório de Alcabideche.
"O Navio... desarmado" apresenta sentidas condolências à sua Família, amigos e camaradas.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

POR AÍ

António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

Reforço das capacidades militares europeias?

Portugal defende papel da NATO e reforço das capacidades europeias
O encontro de segunda-feira antecede a reunião dos ministros de Defesa dos 28 países da NATO, dias 15 e 16, em Bruxelas.
Lusa
5 de Fevereiro de 2017, 23:16

Meu comentário: 
Europa mais forte porquê e para quê? Maior capacidade militar da Europa é mais perda de soberania e maior despesa por duplicação de meios. E ser devido a Trump pode significar admissão de confronto com os EUA. Além de tal não ter qualquer razão de existência, quanto custaria e que valor teria militarmente o Continente, sem o Reino Unido ou até também contra este se, com grande probabilidade, ficasse aliado aos EUA?
  Chega a NATO para defesa mútua. Pela minha experiência, é até mais democrática do que esta União Europeia porque, embora os meios sejam muito diferentes, os países são iguais, não há uns com mais votos do que outros, e cada um tem o direito soberano de lhe atribuir ou não as forças que entender e também de aceitar ou não qualquer acordo de normalização.
                        António José de Matos Nunes da Silva
                                   C/Alm Ref

domingo, 5 de fevereiro de 2017

SIGA a MARINHA
António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

sábado, 4 de fevereiro de 2017

POR AÍ

António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

MEMÓRIAS da HISTÓRIA
Porque me terei lembrado?
António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

MEMÓRIAS


António Cabral
cAlmirante, reformado
(chapéus há muitos)