quarta-feira, 26 de abril de 2017

Porta-aviões chinês


"De acordo com o jornal de Hong Kong South China Morning Post, o novo porta-aviões, designado temporariamente de "001A", tem 315 metros de comprimento, 75 metros de largura e uma velocidade cruzeiro de 31 nós."

Para ler o artigo no "DN", artigo carregado de algumas incorrecções náuticas, podem seguir esta ligação.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Foi há 43 anos o 25 de Abril


Dia da Liberdade; Dia da Democracia.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

As "curiosidades" do Conselho do Ensino Superior Militar

  Publicado hoje o Despacho 3378/2017 que nomeia todos os membros do Conselho do Ensino Superior Militar.
  Como “curiosidades”:
  São 6 civis (1 dos quais Presidente) e 5 militares.
  Os 5 que representam o Ministério da Defesa Nacional (4 de escolha directa do Ministro, sendo 1 destes o Presidente) são todos civis.
  São sinais dos tempos...
  Mas não consigo classifica-los como bons sinais... para eficiência militar!

António José de Matos Nunes da Silva



quinta-feira, 20 de abril de 2017

LEI de PROGRAMAÇÃO MILITAR (LPM)


A LPM foi uma das facetas que, nas FA, sempre me causou certa estranheza, dúvidas e, no respeitante aos sucessivos governos, sempre do arco da governação até esta geringonça e agora a"dita", a LPM e o que sempre se passou à sua volta ajudou-me a aumentar a minha desconfiança pelos políticos, e a sedimentar a falta de respeito que tenho de há vários anos pela maioria dos sucessivos titulares de órgãos de soberania.
Estou sempre de pé atrás quanto ao que vejo ouço e leio nos OCS.

Isto referido, vou correr o risco de confiar quanto baste no que li no Observador, acerca da LPM e do titular do MDN.

"Pesco" algumas frases, apenas:

> O ramo das Forças Armadas com maior taxa de execução de verbas destinadas à aquisição de material militar foi a Marinha.
>A taxa de execução global das verbas destinadas aos gastos das Forças Armadas com equipamento foi de 77,7% em 2016, quando tinha sido de 86% em 2015. O número fica muito abaixo daquilo que o próprio ministro da Defesa tinha anunciado no dia 18 de janeiro deste ano, aos deputados: a taxa de execução da LPM ficou 20 pontos percentuais abaixo daquilo que o próprio Azeredo Lopes previra, embora tenham sido gastos mais 30,5 milhões de euros do que no ano anterior.
> as contas do ministro referiam-se a “valores provisionais  uma vez que as contas ainda não estavam fechadas
> o ministro não terá explicado com clareza suficiente (pois, digo eu) no Parlamento que o valor a que se referia era apenas o que estava inscrito no Orçamento do Estado - o que surge como uma nova forma de contabilizar a execução das compras militares (pois, digo eu)
> O relatório sobre a execução da LPM foi assinado por Alberto Coelho (onde é que eu já ouvi este nome?)
> a comissão de acompanhamento da LPM responsabiliza o Ministério das Finanças - sem o nomear - por parte dos atrasos nos programas.
> a comissão sugere que o Governo disponibilize os saldos com maior rapidez.
> .......encontrando-se à presente data já integrados no orçamento de 2017 todos os saldos transitados de 2016″.

A fazer fé no "Observador", estará a passar-se boa parte do habitual ao longo dos anos. 
Contratos não fechados por isto e por aquilo, afirmações não correspondentes à verdade (a minha vizinha Celeste lá na aldeia chama-lhes MENTIRAS), dificuldades quanto aos teóricos saldos vindo agora o MDN dizer que tudo está bem melhor (onde ouvi já isto?), as costumeiras recomendações ao ministro das finanças, o atirar de culpas a este e aquele, e o Exército sempre com mais dificuldades (aparentemente sempre a grande distância dos outros Ramos).
Com a reserva de que não conheço o relatório em apreço, presente o que se lê, arrisco dizer, tudo visto e ponderado, mantenho o nojo que sinto por esta gentinha toda. É o que temos, mas nem todos merecemos, sobretudo as FA.

António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

quarta-feira, 19 de abril de 2017

BI Militar

Mensagem que enviei aos responsáveis:

  Vejo que na alínea c) do nº 4 da Resolução do Conselho de Ministros n.º 51/2017 apenas consta o cartão de cidadão como elemento de identificação.
  Espero que o Conselho de Ministros cumpra a Lei no que respeita ao BI de militares dos quadros permanentes, que transcrevo:
  Nº 1 do Artigo 9º do Estatuto dos Militares das Forças Armadas aprovado pelo Decreto-Lei 90/2015 de 29-5-2015:
"Artigo 9.º
Identificação militar
1 — Ao militar dos QP é atribuído um bilhete de identidade militar, que constitui título bastante para provar a identidade do seu portador em território nacional e substitui, para esse efeito, o cartão do cidadão."
  É que actualmente já há quem não o esteja a cumprir, como o Portal do Ministério da Saúde e Lojas do Cidadão, apesar das reclamações apresentadas.

António José de Matos Nunes da Silva
C/Alm. Ref.
BI: 7643 da Marinha Portuguesa

VIKINGS

A propósito da boa lembrança para a exposição sobre estes guerreiros do mar, cumpre-me informar que em minha casa acolhi em 2001, mais concretamente em Fevereiro desse ano, um pai (viúvo) Viking e os seus dois filhotes. Têm sido muito bem tratados. A única coisa de que se queixam, para lá da "língua" naturalmente, é estarem confinados a um armário/ vitrine onde tenho muita outra coisa. 
Mas têm arejado, periodicamente, para as mãos dos meus netos, higiene periódica, e hoje saíram para serem fotografados, e apresentados aos meus amigos.


António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

terça-feira, 18 de abril de 2017

VIKINGS

A partir de hoje, no Museu de Marinha.


​« Há mais de mil anos, povos vindos do Norte chegaram às margens de uma Europa que não estava preparada para os receber. 
A capacidade de se deslocarem em rápidos e versáteis navios e a violência inesperada dos seus ataques constituíam as principais características destes “guerreiros do mar”

Para mais detalhes sobre a exposição podem aceder à página da Marinha seguindo esta ligação.
POR FALAR EM CASTELOS....



António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

domingo, 16 de abril de 2017

POR FALAR EM FORTES, CASTELOS, FORTALEZAS....


António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

sábado, 15 de abril de 2017

Coreia do Norte


Embora muito novo na altura lembro-me de ouvir falar e ver imagens da guerra da Coreia que teve lugar no início da década de 50 do século passado. Parece que custou a vida a mais de 50 000 americanos e a cerca de 2 milhões de coreanos ... e parece também que há gente saudosa desses tempos.
"Segunda guerra da Coreia: em que pode resultar?" é um artigo do "Sputnik Brasil" que analisa algumas das consequências de um confronto entre os EEUU e a Coreia do Norte. Pode ser lido AQUI.
BARCOS e NÚVENS

Núvens, aqui refletidas, porque existem, e cada vez mais. Mas anda tudo - ah, não é directamente comigo. Esperem pela pancada!



António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

quinta-feira, 13 de abril de 2017

UMA VISTA SOBRE os ESTALEIROS N.V.CASTELO


Mais uma olhada, sobre os ENVC. A minha prolongada passagem pelo Minho deu tempo de observar em dias diferentes  o que não olhava atentamente creio que desde 2012. Lamentavelmente, desta vez que o pude fazer com tempo, esqueci-me de levar uma lupa, para esquadrinhar o "espaço" e ver se descobria algum "gambozino", perdão, NPO. E assim, de uma maneira talvez não a mais feliz, mas numa devotada intenção de contribuir para que o blogue não caia, deixo estas provocações e mais uma fotografia.


António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

quarta-feira, 12 de abril de 2017

A PROPÓSITO de MAR
Rola do mar, pairando à beira da rebentação


António Cabral
cAlmirante, reformado

terça-feira, 11 de abril de 2017

LIVROS BRANCOS

Uma das manias em Portugal é de vez em quando publicar livros brancos e outros, ainda que fazendo concorrência muito fraca à panóplia de observatórios disto e daquilo.
De vez em quando, encontro na garagem umas coisas quase relíquias. No caso, foi agora o "Livro Branco da Defesa Nacional, 1986", que tem uma clara indicação - Gabinete do Ministro (MDN), e um texto do então ministro da Defesa Nacional, Leonardo Ribeiro de Almeida, datado de 30 de Novembro de 1986.
Esse texto explica - ..."o Ministério da Defesa Nacional dá início a uma forma de informação pública, que considera ajustada e oportuna, sobre matérias do maior interesse para o estado e para os cidadãos, no âmbito das actividades de defesa nacional que a um e a outros competem.".....
Mais adiante, lá aparece uma lengalenga que com pequenas alterações de palavras, tem sido repetida à exaustão e servido de desculpa para os políticos de má consciência e postura, e que reza assim - ......"São conhecidas as dificuldades e limitações financeiras e outras que o país atravessa na actual conjuntura, para poder organizar e equipar as Forças Armadas adequadas a uma eficaz defesa militar autónoma. Este é um aspecto importante focado neste livro branco."........
Décadas atrás li-o. Vou voltar a folhear.

António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)


sexta-feira, 7 de abril de 2017

CMG (Ref) Mário Alberto Dias Monteiro Santos



"O Navio... desarmado" tomou hoje conhecimento da triste notícia: faleceu o Cte Monteiro Santos. Entrou na EN em 1963 com o Curso Miguel Corte Real tendo posteriormente transitado para o Curso Hermenegildo Capelo. As cerimónias fúnebres tiveram lugar ontem no Centro Paroquial de Oeiras, tendo o seu corpo sido cremado, hoje, em Cascais (Crematório de Alcabideche).
"O Navio... desarmado" apresenta sentidas condolências a toda a sua Família e aos seus camaradas e amigos.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

MARINHA,  MEMÓRIAS

Por alguns locais do país encontram-se algumas referências a homens que, na Marinha e depois de deixarem o activo, foram ilustres. Este é um belo exemplo disso mesmo.
Quantos se lembram dele? 


António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

terça-feira, 4 de abril de 2017

MARINHA



António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

segunda-feira, 3 de abril de 2017

BEM QUE PROCUREI...........

Mas...........não vi nenhum,.......nem pronto,....nem quase,.........nem quilha,.........

Será que vão encomendar aquelas maquinetas que os fazem em 3D? É capaz de ser mais rápido!!!




António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

domingo, 2 de abril de 2017

"NAVEGAÇÕES"

Pelo Tejo acima,......pelas margens!





António Cabral
cAlmirante, reformado
(chapéus há muitos)

CMG (Ref) Jorge Maria de Avilez Nunes Pereira

"O Navio... desarmado" lamenta informar que o Cte Nunes Pereira (82 anos, Curso D. Dinis) faleceu no passado dia 1 de Abril. A partir das 1700 hrs de hoje (2 Abr) o corpo estará na Igreja de Sto António, no Estoril, de onde, amanhã pelas 1000 hrs, deverá partir o funeral para o Cemitério dos Prazeres (Lisboa) onde será celebrada missa de corpo presente.
"O Navio... desarmado" apresenta sentidas condolências à sua Família e aos seus camaradas e amigos.

Nota: Recebida informação de que não há uma hora fixada para a saída do féretro da Igreja de Santo António do Estoril para Lisboa e que a missa de corpo presente será celebrada na igreja do cemitério dos Prazeres pelas 1000 hrs do dia 3 de Abril (2ª feira).

quarta-feira, 29 de março de 2017

MEMÓRIAS

Nota prévia: vejo pouca televisão e no que a noticiários nos canais nacionais respeita quase nada vejo. Procuro acompanhar, em directo ou mais tarde usando as tecnologias actuais,  algumas comissões parlamentares de inquérito, audições dos ministros da defesa e dos negócios estrangeiros, e alguns debates (???) quinzenais na AR.

Acompanhei a audição de hoje do MDN, de que vi e escutei grande parte mas não desde o início. Vi desde a intervenção sabuja de um deputado que palrou e untou mais que perguntou, e até pediu desculpa de se ter alargado tanto no tempo. Adiante.
O actual titular primeiro do ministério da Defesa Nacional é um homem inteligente e hábil, não há dúvidas quanto a isso.
Mas não é sobre ele, ou o Costista Secretário, ou sequer a prestação global dos diferentes intervenientes, que me apetece falar.
A audição de hoje remeteu-me, e daí as memórias, para algures finais de Novembro de 2004 ou já início de Dezembro; já não consigo precisar, ainda que tenha registado numa velha agenda o dia em que me telefonaram directamente de Lisboa, para empreender acção local acerca de uma probabilidade a acontecer daí a quase cinco meses. Um evento então desejado.
E estou concretamente a falar dos NPO.
E antes de continuar, devo esclarecer, se preciso fosse, que tenho em péssima conta a esmagadora maioria dos políticos e dos sucessivos titulares de órgãos de soberania. E concretamente e por exemplo, Durão Barroso, Paulo Portas, José Sócrates, Diogo Freitas do Amaral, Luís Amado, Passos Coelho e Aguiar-Branco.
E regressando aos NPO, e depois do que ouvi hoje na audição, o que gostava de um dia vir a saber, PRETO no BRANCO (claro que nunca acontecerá, pois quem sabe com rigor nas várias cores políticas não o diz publicamente) é porque é que alguns tinham esperanças que um NPO viesse à luz do dia a poucos dias de 20 de Maio de 2005, porque é que só muuuuiiiiiito mais tarde apareceu, porque não foram construídos mais em sucessão e, agora, aparentemente, irão finalmente avançar para mais dois navios. 
Se não estou enganado, o contrato dos NPO foi mesmo assinado antes da entrada de Sócrates como primeiro-ministro, esteve lá desde algures em 2005 até meados de 2011, daqui até Out 2015 foi a PAF, e agora está lá a geringonça. E NPO.......
Enfim, mais um indicador da porcaria em que continuamos metidos.

António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)


PS: antes de carregar no botão publicar, leio sempre o que acaba de ser escrito. Está a parecer-me que o texto está ácido.  Mas vai mesmo assim, até porque não estando hoje fisicamente muito bem não estou com força anímica para perder mais tempo. Que me relevem os que por gentileza me lêem.

terça-feira, 28 de março de 2017

ADRIANO


ONTEM QUASE NÃO CHOVEU, 
HOJE, SOL, PLANTAS ORVALHADAS


António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

segunda-feira, 27 de março de 2017

À BEIRA RIO 

Mas não em dia de invernia.
Se a imaginação a tanto chegar, pode ver-se o presente.


António Cabral
cAlmirante, reformado
(Chapéus há muitos)

sábado, 25 de março de 2017

Não esquecer ... domingo muda a hora!



Na madrugada de domingo entramos no horário de Verão.